top of page
Buscar

Leis do Capivara no xadrez – Parte 2

Leis Gerais do Capivarismo




As (segundas) Dez Leis do Capivarismo (não necessariamente nessa ordem)

As (segundas) Dez Leis (complementares) do Capivarismo: 1ª Quando o capivara acha que fez um lance decisivo e ganhador, acerta apenas 50% dessa sua avaliação; 2ª Quando o capivara percebe que sua dama está atacada, não a remove, optando por um xeque intermediário. Empolga-se e dá outro xeque. Faz um lance preparatório para o mate magistral, porém se esquece do início desta lei; 3ª Quando o capivara decora várias partidas, inclui em seu repertório uma variante perdedora… e não é que a joga! 4ª Quando o capivara pensa em jogar um “f5” ganhador, mas surge não sei de onde um forte enxadrista para ver a partida, o capivara opta por não jogar aquele lance ganhador, por medo de eventuais críticas posteriores. Invariavelmente, após a partida, o forte jogador dirá: – Por que você não jogou “f5” naquela hora? Era ganhador! 5ª Quando o capivara demora muito para rocar devido à sua indecisão, sofre um ataque demolidor no centro do tabuleiro; 6ª Quando o capivara quer mostrar uma partida que venceu, nunca consegue recompor a seqüência de lances; 7ª Quando o capivara consegue uma vantagem decisiva sobre um adversário bem mais forte, lembra-se que não sabe dar mate com bispo e cavalo contra apenas um indefeso rei; 8ª Quando o capivara constata, com tristeza, que perdeu por tempo uma partida “ganha”, bem depois é avisado por alguém que presenciava o jogo que o tempo do adversário “caiu” antes; 9ª Quando o capivara finalmente, após infindáveis manobras, descobre a linha de ganho, o adversário chama o árbitro e diz que serão completados os 50 lances, sem captura ou movimento de peões; 10ª Quando o capivara constata que, como sempre, está perdido mais uma vez, pergunta-se sobre o porquê de continuar insistindo em jogar xadrez.

3 visualizações0 comentário

Comments