top of page
Buscar

COMO ESTUDAR XADREZ? – Parte 1

COMO ESTUDAR CORRETAMENTE O XADREZ E EVOLUIR?






1. Compreendendo as fases de uma partida de xadrez:





Como estudar e progredir?  Essa pergunta é tão recorrente 

em comunidades de Xadrez, que resolvi partilhar algumas 

informações que possuo.

Atualmente temos uma infinidade incrível de livros, programas 

de computador, vídeo-aulas, cursos sobre xadrez, que o 

principiante fica mesmo perdido e não sabe por onde começar 

os seus estudos.

Eu passarei um esquema de estudo VENCEDOR. 

Quem segui-lo, não se arrependerá e terá êxito com certeza, 

pois que me ajudou a vencer o Campeonato Municipal da minha 

cidade em 1990, apesar que depois eu tive de parar com o xadrez 

para seguir a carreira jurídica.

O Xadrez é um misto de esporte, arte, ciência, que se estuda, seja 

por meio de livros, seja por meio de programas de computador, 

seja com aulas de mestres/treinadores. E todos sabemos que o 

jogo possui 3 fases: ABERTURA, MEIO JOGO e FINAL.

O meio jogo se divide em TÁTICA e ESTRATÉGIA.

Primeira grande dica: O grande erro do principiante no xadrez 

é pressupor que deve começar estudando as ABERTURAS. 

Este erro é frequente e consumirá muitas horas de infrutíferos 

estudos por parte do principiante.

Vários campeões já o disseram, à exaustão, que o correto é 

começar pelo estudo dos FINAIS. Capablanca disse isso, entre 

outros. Mas os iniciantes não escutam e teimam, teimam e erram, 

claro.

Até hoje eu só vi um treinador afirmar que se deve começar 

estudando as aberturas, trata-se do Shereshevsky, em seu livro PERFECCIONAMIENTO EM AJEDREZ, que estou lendo 

nestas férias e pretendo comentar em futuro artigo. 

Os demais dizem que se deve começar pelos finais, ou 

mesclar seu treinamento com diagramas de tática e finais.

As primeiras vitórias só virão após estudar um bom livro 

(ou programa) de finais + um bom livro de tática + um 

bom livro de estratégia, além de se livrar do mau hábito de 

perder peças de graça, no jogo.

O principiante perde peças de graça e isso precipita a 

sua derrota. Só a frequência a um estudo correto e de 

certa forma exaustivo, fará com que o jogador enxergue a 

posição e pare de perder peças.

Deve, então, passar pelo menos um ano estudando os finais, 

tática e estratégia, quando passará a vencer seus 

primeiros torneios.

O MEIO JOGO se divide em TÁTICA e ESTRATÉGIA.

Na tática treina-se a visão de jogo e as combinações. 

Há quem diferencie hoje em dia tática, de combinações e 

de cálculo. Táticas seria uma treinamento para se ter visão 

de jogo, enxergar lances que podem lhe assegurar vantagem 

imediata. Combinação é uma sequência de lances forçados, 

em que o adversário fica obrigado a seguir e o leva a alguma 

desvantagem. Cálculo é conseguir, mentalmente, antecipar 

vários lances. Eu vejo tudo como a mesma coisa, são estudos 

de tática.

O novato tem de estudar tática por vários motivos. 

Seja porque no começo comete muitos erros táticos, perde 

peças de graça, seja porque estudando a tática facilitará a 

compreensão da estratégia e ainda se verá uma evolução 

concreta em seu jogo, estimulando o estudo.

O GM Rafael Leitão ensina que todo dia deve-se estudar alguns 

diagramas de tática. É um exercício diário, antes de outros estudos. 

Isso mesmo para os grandes mestres!

Há bons livros de TÁTICA à disposição. Há bons programas 

de computador que treinam tática (CT-Art é um deles). 

Há boas apostilas. E nesse estudo, (segunda dica) o 

principiante deve lutar tenazmente para não mexer as 

peças enquanto tenta solucionar visualmente os diagramas, 

nos diversos temas táticos. Tem de tentar solucioná-los 

apenas olhando e calculando lances. Mas no começo, 

recomendo que não demore mais do que 3 minutos 

por diagrama. Se não solucionou, veja a solução, pois 

estará ainda assimilando um padrão tático.

Importante: modernos treinadores, como Andrei Istratescu, 

passam aos seus alunos inclusive exercícios de visualização 

às cegas do tabuleiro e peças. Ou seja, é necessário que 

o enxadrista, ao fechar os olhos, ao se afastar do tabuleiro, 

lembre-se da disposição das peças.

Terminado este estudo, deve o principiante estudar 

ESTRATÉGIA, por meio de bons livros ou cursos, sendo 

que aqui aprenderá a desenvolver planos, aprenderá 

debilidades de peões, estruturas de peões, conceitos como 

bispo bom, bispo mau, colunas abertas e semiabertas, torres 

e domínio de colunas, maioria na ala da dama, 

desenvolvimento de peças, tipos de centros de peões, 

tipos de estruturas de peões, como obter a iniciativa, como 

planejar um ataque, ataque da minoria etc. 

Recomendo que você estude pelo menos um livro de estratégia 

clássica, como o ESTRATÉGIA MODERNA do Pachman, 

livro este que foi elogiado pelo GM e campeão brasileiro 

Giovanni Vescovi (esse elogio foi feito pelo próprio, diretamente 

a mim e a alguns amigos, quando veio em Dourados/MS 

ministrar uma simultânea) ou O JOGO DE POSIÇÃO do 

Eliskases, para compreender as ideias de Wilhelm Steinitz. 

E recomendo o SEGREDOS DA ESTRATÉGIA MODERNA, 

do John Watson, porque mostra o que mudou, da estratégia 

clássica para a moderna. Bem como o EL AJEDREZ DE 

TORNEO, do Bronstein e SECRETOS DEL JUEGO 

POSICIONAL EN AJEDREZ, Mark Dvoretsky.

Quando o principiante terminar esse estudo (dos FINAIS, 

da TÁTICA e da ESTRATÉGIA), acontecerá com o mesmo 

uma coisa notável: (terceira dica) descobrirá qual é o seu estilo 

de jogo. Seja mais estratégico, seja mais tático. E é quando 

escolherá aberturas em conformidade com o seu estilo de jogo.

Nesta fase, recomenda-se ao estudante que estude livros de 

torneios e livros s/ jogadores famosos e suas partidas, de acordo 

com seu estilo.

Naturalmente, um jogador de estilo mais tático, preferirá livros 

de jogadores que se notabilizaram pela sua capacidade de 

elaborar complexas combinações no tabuleiro. Um jogador 

mais estratégico optará por livros de mestres com estilo 

estratégico, que acumulam pequenas vantagens durante 

suas partidas, que acabam redundando em um final vencedor, 

sendo que dominam muito bem os finais.

Fonte: http://andregreff.blogspot.com

8 visualizações0 comentário

Comments